segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Lembranças Escritas

A perpexidade dos fatos
Muitas vezes me assusta.
Por meses me pus a fingir
Que nada sentia
Tratei desse sentimento
Como se trata uma minúscula pedra na rua.

Após meses de devaneios nas madrugadas
De amizades surrupiadas
Desventuras, paixonites e atrações por status,
Encontrei o que não queria encontrar.
Palavras suas “perdidas” entre as minhas
Gravadas em minha poesia
Recoberta de sentimentos e lamentos
Sem negar o que um dia existia.

Ainda não encontrei forças para ler
Pois só de saber que a letra é tua
Meu corpo treme, gela, ignora.
Como uma criança com medo,
Acuo-me no canto.
Sinto que te perdi novamente
O que é pior,
Antes eu tinha o que perder, hoje só restam-me lembranças.

Em noites vagas, choro e disperto lamentos,
Por não conseguir controlar meus sentimentos.
Atravesso as noites triste e calado
Sonhando e relembrando
Que um dia tudo foi diferente.

2 comentários:

  1. muito perfeito, admiro teu jeito de escrever, de expressar com palavras o que sentes e poucas vezes demonstra.

    ResponderExcluir